Solicitar orçamento

Aeroclube de Juiz de Fora

Sonho de ser piloto se torna realidade

Sonho de ser piloto se torna realidade

Nascido em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, o piloto Tarso de Souza Bertolais conta, com muito orgulho, toda sua trajetória para chegar até onde chegou. Atualmente, ele está terminando o curso de Instrutor de Voo de Avião, chamado “INVA”, no Aeroclube de Juiz de Fora (MG). Sua paixão por aviões é antiga. “Desde criança, sou um grande admirador de aeronaves. Nunca pedi carrinhos para brincar, pois eu gostava mesmo era de aviões de brinquedo. Meu avô também era apaixonado por aviação e me motivou a entender mais sobre o assunto, lendo livros para mim. Eu me lembro, até hoje, de nós dois lendo enciclopédias Barsa sobre aviões e aviação em geral. Eu adorava”, revela.

Sua trajetória pela aviação começou em 2008, no aeroclube de Ribeirão Preto. Naquele ano, ele percebeu que não tinha uma situação financeira suficiente para seguir seu sonho. Então resolveu partir para o mercado. Já em 2013, ele voltou com mais vontade ainda para aviação. “Descobri, por meio de pesquisas na Internet, que o Aeroclube de Juiz de Fora era muito bem conceituado e oferecia uma ótima estrutura para os alunos, principalmente, para os que vêm de fora. Consegui falar com algumas pessoas que estudavam aqui e só tive boas referências. Por isso resolvi vir para cá”, explicou.

Após aprovação na prova teórica da ANAC, em 2013, Tarso fez o Curso de Piloto Privado, com 40 horas de voo, no Aeroclube de Juiz de Fora. Depois, ele partiu para o curso teórico de Piloto Comercial e finalizou a parte prática em Juiz de Fora novamente, com mais 110 horas de voo. Ainda em terras mineiras, ele fez o curso de voo por instrumentos e multimotor, habilitado a voar avião com mais de um motor. Atualmente, ele está fazendo a parte prática do curso para instrutor de voo concluído em 27 horas totais.

Já pensando em seu futuro, Tarso revela o que espera do mercado da aviação. “Hoje tenho 35 anos e estou muito feliz com tudo que consegui. Abandonei tudo pela aviação, meu serviço, vendi minha casa para fazer esses cursos, cheguei até a morar no exterior, por dois anos, para aprender inglês e, hoje, não me arrependo de nada. Eu amo voar. O pessoal do Aeroclube sempre me apoiou nesse sonho. Quero seguir adiante, ou para ser piloto de linha aérea ou para ser instrutor de voo, pois adoro dar aula também”, ressaltou.

Dia a dia do Aeroclube de Juiz de Fora

Para aqueles que têm interesse em se tornar piloto também, Tarso explica como é a rotina dos alunos do Aeroclube de Juiz de Fora. “Eu moro no alojamento com o pessoal. A estrutura é muito boa. Nossa rotina é bem simples e nos reunimos para comprar os alimentos e fazer nossas refeições. Quando acordo, atualmente, prefiro participar da parte burocrática do aeroclube, além de voar, porque pretendo ser instrutor. A ANAC é bastante rígida com relação a controle de aeronaves, de horas de voo dos aviões e dos alunos, atividades que aprendo no dia a dia da instituição. Também faço questão de ficar no hangar para aprender no abastecimento e na limpeza dos aviões e toda as ações de manutenção. Quando chegam alunos novos, faço questão de conversar com eles, apresentar a estrutura da instituição e aprender e ensinar sobre os cursos”, finalizou.

Outras informações do Aeroclube de Juiz de Fora pelos telefones: (32) 3233-1004 e (32) 9.9910-8001 (whatsapp).

Texto: jornalista Flávia Cocate
Fotógrafo: Leonardo Amorim

Deixe uma resposta

Fechar Menu