Solicitar orçamento

Aeroclube de Juiz de Fora

TIRE SUAS DÚVIDAS: (32) 3233-1004 contato@aeroclubejf.com.br (32)99910-8001
  • Home
  • Voo Panorâmico
    • Leia artigos e visualize nossas galerias de fotos

      previous arrow
      next arrow
      Slider

      Confira fotos de nossas instalações e nossos eventos.

      previous arrow
      next arrow
      Slider

      Artigos sobre aviação e tudo que acontece no Aeroclube de Juiz de Fora.

Login - Flight Center


 

Curso Prático de Multimotor

O curso para piloto de Multimotores (MLTE) é uma habilitação adicional que o piloto de avião pode realizar dentro das licenças do Curso de Piloto Privado ou Curso de Piloto Comercial. O treinamento é prático e permite ao piloto avançar com segurança em sua carreira profissional.

O treinamento Multimotor é recomendado para pilotos que possuam a licença do Curso de Piloto Comercial, porém também pode ser realizado com a licença do Curso de Piloto Privado, com a ressalva que só poderá voar em aeronaves particulares e em função não remunerada.

Após Concluído:
Poderá Pilotar aviões multimotores em condições visuais (VFR).
Você poderá realizar treinamento para Instrutor de Voo ou treinamentos adicionais.

Pré-requisitos:

  • Ser portador da licença do Curso de Piloto Privado ou Curso de Piloto Comercial.
  • Ser portador do Exame Médico de 1ª Classe

Treinamento: (realizado dentro do Curso de Piloto Comercial)
Está dividido em 14 horas de voo, sendo:

  • 5 horas de voo local.
  • 7 horas de voo em rota.
  • 2 horas de voo de cheque ANAC.

Aeronaves utilizadas

Seneca II

Seneca II

Seneca II

O Seneca II é uma aeronave bimotor executiva a pistão de pequeno porte, com capacidade para transportar com razoável conforto um piloto e cinco passageiros em viagens intermunicipais e interestaduais. Respondendo às críticas sobre a qualidade de comportamento da aeronave, a Piper introduziu o PA-34-200T Seneca II. A aeronave foi certificada em 18 de julho de 1974 e lançada como modelo de 1975.

O novo modelo incorporou mudanças nos controles de solo da aeronave, ailerons mais alongados e balanceados e a adição de um “anti-servo” no leme. O “T” na designação do novo modelo reflete uma mudança para um motor turbocharged (motor com turbocompressor), seis cilindros Continental TSIO-360E ou ainda EB para uma performance melhorada, principalmente acima de 5.000 metros de altitude.

No Seneca II a Piper manteve o modelo contra-rotativo de seu irmão mais velho Seneca I. O Seneca II também possibilitava a montagem dos assentos em club seating dos quais os assentos do centro ficaram virados para trás e os dois assentos traseiros para frente, permitindo uma configuração mais confortável. O peso máximo de decolagem foi aumentado para 2.073 kg (aprox. 4.570 libras). O peso máximo de pouso dessa versão é de 1.969 kg (aprox. 4.342 libras).

Fechar Menu